A ProVeg Alemanha, uma organização de lóbi da indústria, entrevistou os maiores parceiros do sector alimentar relativamente ao desenvolvimento futuro de produtos veganos e vegetarianos a introduzir no mercado e publicou os resultados. Segundo as empresas abordadas, os produtos vegetarianos continuam a ganhar relevo e importância.

O estudo analisou de perto o desenvolvimento do mercado vegano/vegetariano na Alemanha. Para efeitos da investigação, foram feitas questões aos departamentos de marketing e inovação dos 50 maiores produtores no sector alimentar relativamente à sua percepção deste mercaodo. Os resultados são baseados num estudo feito através de um inquérito submetido online.

Previsões das empresas

A maioria das empresas pesquisadas mostra-se bastante positiva relativamente ao desenvolvimento futuro do mercado vegano e vegetariano. Cerca de um terço assume que a tendência continuará a ganhar ímpeto e relevância no futuro. Dois terços dos entrevistados esperam uma consolidação do mercado. Nenhuma das empresas questionadas acredita que a demanda ou a oferta cairá.

Grande importância dos produtos vegetarianos e veganos

Mais da metade das empresas já comercializa produtos vegetarianos. Os produtos vegetarianos são de importância alta ou muito alta para 39% das empresas questionadas. Quase metade das empresas indica que exporta produtos veganos. Para mais de 40% das empresas, os alimentos veganos já são de importância média ou alta em termos de receita.

Procura constante por produtos veganos

Setenta por cento das empresas avaliadas prevêem que a procura pelos produtos veganos permaneça num nível estável no futuro. Quase 30% vêem os produtos veganos como tendência e esperam que sua procura aumente significativamente nas próximas décadas.

Razões para o desenvolvimento positivo do mercado

Como a razão mais importante para o desenvolvimento positivo do mercado, a maioria das empresas avaliadas cita uma crescente consciencialização do consumidor relativamente à sua saúde

De forma relevante, mais da metade está convencida de que a rejeição da agricultura industrial pelos consumidores desempenha um papel essencial. Há também um aumento do número de pessoas com atitudes críticas face às práticas intensivas da pecuária, o que leva a uma mudança no comportamento de compra.

Um estilo de vida sustentável que envolve o consumo consciente de alimentos é considerado por 42% das empresas como um desenvolvimento que os inclina para o mercado vegetariano/vegan.

A forte demanda por produtos vegan/vegetarianos estimulou o desenvolvimento de produtos nos últimos anos e levou a uma maior disponibilidade no sector de retalho. Para dois terços dos entrevistados, a maior disponibilidade de produtos vegetarianos contribui significativamente para o desenvolvimento positivo do mercado.

Conclusão

O Barómetro Veg fornece uma visão abrangente das visões das empresas de grande escala sobre a procura de produtos vegetarianos-veganos, e verificou-se que cada vez mais empresas estão a responder à crescente demanda dos consumidores por estes produtos.

O papel do selo da V-Label neste mercado

Apesar da crescente demanda por produtos veganos/vegetarianos e da expansão da oferta, há uma falta de transparência na rotulagem desses produtos. Os consumidores são cada vez mais exigentes em termos de orientações para identificar produtos veganos e vegetarianos de maneira rápida e confiável.

Até o momento, não há uma definição legal vinculativa dos termos “vegan” e “vegetariano” a nível nacional. Para os consumidores, a auto-rotulagem feita pelas próprias empresas não transmite confiança e não garante que um produto seja vegan ou vegetariano. Actualmente, a clareza e confiança do consumidor em produtos veganos e vegetarianos só pode ser alcançada através de certificações independentes, como é o caso da V-Label, utilizada em toda a Europa e um pouco por todo o Mundo.

Leave a comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *